Retrospectiva literária 2015

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

* A retrospectiva literária é organizada pelo blog Pensamento Tangencial. Entre lá e confira os melhores de 2015 de outros blogs.


A aventura que me tirou o fôlego: Battle Royale

O terror que me deixou sem dormir: Não li nenhum de terror esse ano

O suspense mais eletrizante: Fênix: A Ilha
Não foi o mais eletrizante, mas um dos poucos que li do gênero e que foi bom o suficiente para me fazer querer ler as continuações, que pelo visto nem vão sair mais no Brasil.

O romance que me fez suspirar: Uma longa jornada 

A fantasia que me encantou: quase não li fantasia e não as que li não achei tão boas

A saga que me conquistou: Também não li nenhuma saga. Esse ano praticamente só li livros únicos 

O clássico que me marcou: Já está ficando chato, mas não li clássicos também

O livro que me fez refletir: Proibido
Um livro que aborda um tema que não tem como refletir. É um assunto que num primeiro momento parece uma coisa tão surreal, mas que conforme você vai lendo vai pensando, tentando se colocar no lugar, refletindo sobre diversas coisas. Um livro incrível.

O livro que me fez rir: Azar o seu

O livro que me fez chorar: Proibido
Primeira vez na vida que um livro me faz chorar

O livro que me decepcionou: Outlander 
Outlander tinha uma proposta que, pelo menos para mim, se perdeu no meio do caminho. Me pareceu muito mais um romance erótico com todas as outras coisas apenas sendo pinceladas. Esperava bem mais.

O livro que me surpreendeu: Battle Royale
Já ouvi dizer que Jogos Vorazes era bem parecido com Battle Royale e como li a saga primeiro, imaginei que esse seria um mais do mesmo, apesar de ter vindo antes. Mas me surpreendi muito e a leitura fluiu sem que em nenhum momento eu ficasse comparando os dois. Claro que há semelhanças, e muitas, mas são livros diferentes e gostei mais desse, inclusive.

O livro que devorei: Ponte para Terabítia

O livro que abandonei: Não abandonei nenhum livro, mas abandonei a saga Outlander. Depois do primeiro, desisti de ler os outros.

A capa que amei: Nuvens de ketchup

O thriller psicológico que me arrepiou: Quando os Adams saíram de férias

A frase que não saiu da minha cabeça: "Eu sei que muitas vezes rimos e brincamos sobre "nunca diga nunca", mas é legal poder ter algo na vida que represente uma certeza, não é? A verdade é que só nós podemos ter uma certeza que seja realmente nossa". Sou Louco por Você

O(a) personagem do ano: Mark Watney - Perdido em marte 

O casal perfeito: nenhum marcante

O(a) autor(a) revelação: Lucinda Riley
Sempre tive preguiça dos livros com muitas páginas dela, mas esse ano decidi ler e gostei muito da narrativa da autora.

O(a) autor(a) que mais esteve presente entre as minhas leituras: Federico Moccia 

O gênero literário que mais li: Romance

O gênero literário que preciso ler mais: Terror, suspense e clássicos

O melhor livro nacional:  Azar o seu

O melhor livro que li em 2015: Proibido

Li em 2015 59 livros.

A minha meta literária para 2016 é: 70 livros