O futuro de nós dois - Jay Asher e Carolyn Mackler

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Autores: Jay Asher e Carolyn Mackler
Editora: Galera Record
Páginas: 381
Compare e compre

É 1996 e menos da metade dos alunos das escolas de ensino médio dos Estados Unidos já tinham usado a internet. Emma acaba de ganhar o primeiro computador e um CD-Rom da América Online de Josh, seu melhor amigo. E ao instalar o programa, logo no primeiro acesso, descobrem que acabam de entrar no Facebook, dali a 15 anos. Todos se perguntam como será o futuro.Josh e Emma estão prestes a descobrir...

Uma leitura super leve e rápida, cheia de clichês e sem grandes reviravoltas, mas costumo gostar dessas histórias mais despretensiosas e com esse livro não foi diferente.

O futuro de nós dois conta a história de Josh e Emma, vizinhos e amigos de longa data. Depois de ganhar um computador do pai e instalar o programa de internet, Emma descobre o Facebook. O grande X da questão é que o ano é 1996 e nesta época o Facebook ainda não existia.

O perfil de Emma tem fotos e informações dela dali a 15 anos, assim como o de Josh. Com uma visão de como estarão no futuro, os dois começam a fazer coisas no presente que acabam modificando o futuro a cada vez que abrem a rede social.

Josh é um personagem muito fofo. Do tipo mais tímido, ele tem um amor não correspondido por Emma. Já Emma é a típica personagem chata e egoísta que desperta a vontade de entrar no livro e dar umas boas sacudidas. Ela tem medo de expor os sentimentos e acaba tendo vários relacionamentos sem significado.

Quando descobre o que o futuro os reserva, os dois primeiro ficam em choque, Josh atéacha que se trata de uma brincadeira, mas depois eles acabam aceitando o futuro. Josh aparentemente terá uma boa vida, enquanto Emma não gosta do seu eu no futuro.

Sem saber, os dois acabam fazendo coisas que interferem nesse futuro e quando percebe isso, Emma começa a tentar mudar o futuro propositalmente. É aí que entra o lado egoísta da personagem: ela começa a fazer coisas que interferem não só na vida dela, mas também na dos amigos, de forma negativa inclusive, apenas para que ela tenha uma boa vida também. Isso sem contar que a todo momento ela compara o seu futuro com o de Josh, deixando claro o quanto é invejosa.

Ao mesmo tempo algumas coisas são justificáveis. Se eu visse que uma coisa que eu fiz hoje me prejudicou de alguma forma no futuro, possivelmente faria diferente e tentaria mudar de alguma forma.
" - Eu me lembro da teoria do dominó - comenta e assiste a mais alguns segundos dos homens discutindo na TV. - Se não impedirmos algo ruim de acontecer, a coisa continua se disseminando até ficar praticamente impossível tomar alguma providência a respeito dela. Pág. 287
Chega um momento em que as tentativas de mudar o futuro acabam interferindo também no presente e a personagem precisa analisar até que ponto essas mudanças valem a pena e quando é hora de parar de olhar para dali a 15 anos e focar no presente.

A narrativa é dividida entre os dois personagens e isso é um grande positivo, porque dá para acompanhar a forma como cada um encara os fatos. Além disso, o livro tem uma parte mais cômica também e é bacana acompanhar as situações em que os personagens se metem para tentar mudar as coisas.

Outra ponto bastante interessante foi acompanhar e relembrar como as coisas eram antes desse "boom" da internet, como por exemplo a internet discada, o discman, as fotos que precisavam obrigatoriamente serem reveladas e o celular que só servia mesmo para fazer e receber ligações.

É interessante perceber como a nossa vida é totalmente ligada na tecnologia e como tudo é mais fácil hoje em dia. Em 1996, por exemplo, os personagens precisam andar quilômetros para dar um recado para alguém, quando hoje podemos ligar, mandar uma mensagem ou whatsapp.

E mesmo a história não sendo tão profunda, até porque nem tem essa pretensão, ainda dá para tirar como reflexão o fato de como as coisas que a gente faz tem influência na nossa vida. AS escolhas que fazemos hoje influem diretamente no nosso futuro. Mas também deixa a se pensar que precisamos sim fazer nossas escolhas pensando no que é melhor pra gente, mas nem por isso temos que deixar de viver o presente e focar apenas lá na frente.

Enfim, é um livro adolescente com um pouco de comédia, drama e um enredo bacana com uma narrativa que flui. Volto a dizer, não é um livro inovador ou com reviravoltas surpreendentes, mas é sim uma boa leitura.

Adaptação de livros nos cinemas - Janeiro

sábado, 9 de janeiro de 2016


Carol - Adaptação do romance escrito por Patricia Higjsmith. A jovem Therese Belevit tem um emprego entediante na seção de brinquedos de uma loja de departamentos. Um dia, ela conhece a elegante Carol Aid, uma cliente que busca um presente de Natal para a sua filha. Carol, que está se divorciando de Harge, também não está contente com sua vida. As duas se aproximam cada vez mais e, quando Harge a impede de passar o Natal com a filha, Carol convida Therese a fazer uma viagem pelos Estados Unidos.
Estreia em 14/01
Editora L&PM



 ----------------------------------------------------------------------------------------

A 5ª Onda - No futuro, a Terra começa a sofrer uma série de ataques alienígenas. Na primeira onda de ataques, um pulso eletromagnético retira a eletricidade do planeta. Na segunda onda, um tsunami gigantesco mata 40% da população. Na terceira onda, os pássaros passam a transmitir um vírus que mata 97% das pessoas que resistiram aos ataques anteriores. NA quarta onda, Cassie Sullivan vai ter que descobrir em quem pode confiar.
Editora Fundamento
Estreia em 21/01

12 livros para ler em 2016

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Fiz esta lista ano passado e falhei miseravelmente em ler os livros a que me propus. Dos 12 que havia colocado como meta para 2015, li apenas quatro. Na lista desse ano inclui alguns dos que estavam e não foram lidos no ano passado, mas também retirei e acrescentei outros.

As crônicas de Nárnia (volume único) - C. S. Lewis
Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal. O livro que tem tudo isso é O leão, a feiticeira e o guarda-roupa, escrito em 1949 por Clive Staples Lewis. Mas Lewis não parou por aí, seis outros livros vieram depois e, juntos, ficaram conhecidos como As crônicas de Nárnia.

Esta edição apresenta todas as sete crônicas integralmente, num único volume. Os livros são apresentados de acordo com a ordem de preferência de Lewis, cada capítulo com uma ilustração do artista original, Pauline Baynes. Enganosamente simples e direta, As crônicas de Nárnia continuam cativando os leitores com aventuras, personagens e fatos que falam a pessoas de todas as idades, mesmo cinquenta anos após terem sido publicadas pela primeira vez.



O quinto frasco - Michael Palmer
Qual o fim das amostras de sangue tiradas regularmente nos laboratórios médicos ao redor do mundo? Será que possuem alguma serventia, além de prover o diagnóstico do paciente? Quais interesses estão em jogo? 
Em Boston, a estudante de medicina Natalie Reis é enviada por seu mentor a um congresso sobre transplantes no Rio de Janeiro em um momento conturbado de sua vida acadêmica - após enfrentar seu superior na residência médica, é suspensa da faculdade por quatro meses. Em um hospital na África Ocidental, o cientista Joseph Anson, que está morrendo de uma incurável moléstia do pulmão, desenvolve uma substância que pode salvar milhões de vidas. Em Chicago, Ben Callahan, um detetive até então desiludido com sua vida, está determinado a encontrar a identidade de um jovem, morto em uma pequena estrada da Flórida, com misteriosas marcas pelo corpo. Essas pessoas aparentemente não possuem ligação entre si, mas algo fará com que seus caminhos se cruzem e suas vidas se liguem para sempre.



Três céus - Enderson Rafael
O jovem comissário de voo Lucas Luchesi está de mal com a empresa e em busca do amor da sua vida. Já Patrícia Milano é a típica garota do interior que vê sua chance de ganhar o mundo tornando-se aeromoça na cidade grande. As preocupações do comandante Fernando Villas são bem outras: salvar seu casamento. Levando suas vidas a novecentos quilômetros por hora e doze mil metros do chão, estes três personagens se descobrirão numa rotina que só os aviões podem proporcionar, sem saber que seus destinos convergem para um encontro de tirar o fôlego!





Cotoco - John van de Ruit
África do Sul, 1990. Dois grandes eventos estão prestes a acontecer: a libertação de Nelson Mandela e, o que para o garoto John Milton é ainda mais importante, o início das aulas no internato. Cercado por pais no mínimo lunáticos, uma avó gagá e colegas de dormitório para lá de estranhos, John (que graças a suas partes íntimas pouco desenvolvidas é debochadamente apelidado de Cotoco) faz o que pode para se adaptar - e tudo indica que não será fácil.
Munido apenas da própria perspicácia e de um diário, Cotoco vive uma série de situações bizarras e divertidas: de mergulhos proibidos no meio da madrugada a acirrados campeonatos de críquete, passando pela caça ao fantasma de um professor e por catastróficas férias em família. E é nas páginas de seu diário que acompanhamos o peculiar - e sobretudo engraçadíssimo - funcionamento da mente de um garoto de 13 anos ao descobrir a vida, a amizade... e a pluralidade da fauna humana.


O mundo pós-aniversário - Lionel Shriver
O mundo pós-aniversário aborda o relacionamento aparentemente sólido de um casal de americanos radicado em Londres. Ele é um disciplinado pesquisador de um instituto de estudos estratégicos; ela, uma acomodada ilustradora de livros que depara com uma vontade incontrolável de beijar outro homem: um velho amigo do casal, impetuoso jogador de sinuca que figura no topo do ranking do esporte, um dos mais populares entre os britânicos.
Capítulo a capítulo, Lionel Shriver nos oferece dois desdobramentos do futuro dessa mulher sob a influência de dois homens radicalmente diferentes, e assim escreve duas histórias. A partir daquele único beijo, retrata alternativas para união e rompimento, e explora as consequências e as motivações mais íntimas de uma escolha. 



Farenheit 451 - Ray Bradbury
Escrito após o término da Segunda Guerra Mundial, em 1953, Fahrenheit 451, de Ray Bradubury, revolucionou a literatura com um texto que condena não só a opressão anti-intelectual nazista, mas principalmente o cenário dos anos 1950, revelando sua apreensão numa sociedade opressiva e comandada pelo autoritarismo do mundo pós-guerra. 
O livro descreve um governo totalitário, num futuro incerto, mas próximo, que proíbe qualquer livro ou tipo de leitura, prevendo que o povo possa ficar instruído e se rebelar contra o status quo. Tudo é controlado e as pessoas só têm conhecimento dos fatos por aparelhos de TVs instalados em suas casas ou em praças ao ar livre. A leitura deixou de ser meio para aquisição de conhecimento crítico e tornou-se tão instrumental quanto a vida dos cidadãos, suficiente apenas para que saibam ler manuais e operar aparelhos.



David Copperfield - Charles Dickens
Semi-autobiográfico, David Copperfield foi publicado em forma de folhetim entre 1849 e 1850. O autor afirma, no prefácio ao livro, que, entre os inúmeros romances que publicou, este era seu “filho predileto”.
David Copperfield vive feliz com a mãe viúva, até que ela se casa com o senhor Murdstone, um homem cruel que, instigado pela irmã que vai morar com eles, envia o garoto para um rígido internato.
Desgostosa com o destino do filho e com a frieza do esposo e da cunhada, a mãe de David morre prematuramente. Órfão, o menino é rejeitado pela nova família e se vê sozinho no mundo. Passa a conviver com pessoas de todo tipo e conhece o sofrimento, mas também a amizade e o amor.



O Rei de amarelo - Robert W. Chambers
'O Rei de Amarelo' é uma coletânea de contos de terror fantástico publicada originalmente em 1895 e considerada um marco do gênero. O título da coletânea faz alusão a um livro dentro do livro - mais precisamente, a uma peça teatral fictícia - e a seu personagem central, uma figura sobrenatural cuja existência extrapola as páginas. A peça 'O Rei de Amarelo' é mencionada em quatro dos contos, mas pouco se conhece de seu conteúdo. É certo apenas que o texto, em dois atos, leva o leitor à loucura, condenando sua alma à perdição. Um risco a que alguns aceitam se submeter, dado o caráter único da obra, um misto irresistível de beleza e decadência. Esta edição reúne, além dos contos do Rei, seis outros que alternam entre o sobrenatural e a realidade, em épocas e geografias diferentes. 


O voo da libélula - Michel Bussi
Na noite de 23 de dezembro de 1980, um avião cai na fronteira entre a França e a Suíça, deixando apenas uma sobrevivente: uma bebê de 3 meses. Porém, havia duas meninas no voo, e cria-se o embate entre duas famílias, uma rica e uma pobre, pelo reconhecimento da paternidade.
Numa época em que não existiam exames de DNA, o julgamento estende-se por muito tempo, mobilizando todo o país. Seria a menina Lyse-Rose ou Émilie? Mesmo após o veredicto do tribunal, ainda pairam muitas dúvidas sobre o caso, e uma das famílias resolve contratar Crédule Grand-Duc, um detetive particular, para descobrir a verdade.
Dezoito anos depois, destroçado pelo fracasso e no limite entre a loucura e a lucidez, Grand-Duc envia o diário das investigações para a sobrevivente Lylie e decide tirar a própria vida. No momento em que vai puxar o gatilho, o detetive descobre um segredo que muda tudo. Porém, antes que possa revelar a solução do caso, ele é assassinado
.


A História de Edgar Sawtelle - David Wromblemwski
Mudo desde o nascimento, Edgar Sawtelle se comunica apenas por sinais e bilhetes. Leva uma vida serena com os pais na fazenda da família, em um lugar remoto dos Estados Unidos. Ao longo de gerações, os Sawtelles criaram e treinaram uma raça de cães cujo dedicado companheirismo tem sua síntese em Almondine, a amiga e eterna aliada de Edgar. A volta inesperada de Claude, o tio paterno, leva o caos ao então pacífico lar dos Sawtelles. Após a morte repentina do pai de Edgar, Claude se insinua na vida da fazenda e conquista o afeto da mãe do menino.
Confuso e dominado pelo sofrimento, o rapaz tenta provar que Claude teve algum papel naquela morte, mas esse plano fracassa e se volta contra Edgar, resultando em novas tragédias. Ao fugir para a área florestal nos limites da fazenda, Edgar amadurece em contato com a vida selvagem, ao lutar pela própria sobrevivência e a dos três jovens cães que o acompanharam. Contudo, a necessidade de apontar e de enfrentar o assassino do pai e a devoção aos cachorros Sawtelle fazem o menino voltar para casa.


Cruzando o caminho do sol - Corban Addison
Sita e Ahalya são duas adolescentes de classe média alta que vivem tranquilamente junto de seus familiares, na Índia. Suas vidas tranquilas mudam completamente quando um tsunami destrói a costa leste de seu país, levando com suas ondas a vida dos pais e da avó das meninas. Sozinhas, elas tentam encontrar um modo de recomeçar a vida. Mas elas não devem confiar em qualquer um.
Enquanto isso, do outro lado do mundo, em Washington, D. C., o advogado Thomas Clarke enfrenta uma crise em sua vida pessoal e profissional e decide mudar radicalmente: viaja à Índia para trabalhar em uma ONG que denuncia o tráfico de pessoas e tenta reatar com sua esposa, que o abandonou. 
Suas vidas se cruzarão em um cenário exótico, envolto por uma terrível rede internacional de criminosos. 

Quarto - Emma Donoghue
Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.
O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

Melhores livros lidos em 2015

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Sim, 2015 já acabou e essa "retrospectiva" tá um pouco atrasada. Mas ainda estamos no começo do ano, então acho que ainda vale hehe

Separei cinco livros que foram as minhas melhores leituras do ano passado e que eu recomendo para quem se interessa pelos temas. Gosto é relativo, então pode ser que alguém tenha já lido algum desses e odiado, mas em todo o caso, segue o meu Top 5 livros de 2015.


Proibido - Tabitha Suzuma: A temática principal é o incesto, dois irmãos que se apaixonam. É um livro que mexeu muito comigo, que me fez pensar e mudar de opinião algumas vezes, tentar me colocar no lugar dos personagens. É difícil torcer pelo relacionamento quando na nossa cabeça parece algo absurdo, mas a gente torce pela felicidade dos personagens. A autora soube conduzir a história com sensibilidade, de forma que não ficou um livro pesado, apesar de toda a carga dramática que ele traz. É sensível, é triste, é uma montanha russa de sentimentos conflitantes. Vale a pena.

Battle Royale - Koushun Takami: Alunos do 9º ano são levados para uma ilha deserta onde devem lutar entre si e o vencedor será aquele que sobreviver. Com a temática beeeem parecida com Jogos Vorazes, peguei pra ler já com o pé atrás, porque apesar desse ter sido escrito antes, eu li Jogos Vorazes primeiro e estava com medo de acabar fazendo comparações durante a leitura. Porém, apesar de ter sim algumas coisas em comum, isso não foi algo que me incomodou durante a leitura, porque o desenvolvimento da história e narrativa do autor são diferentes. Gostei muito da história e as quase 700 páginas passaram super rápido, a narrativa é dinâmica. Os personagens são complexos, porém bem construídos. Além disso, o autor faz diversas críticas sociais. Recomendo tanto para quem gosta de JV quanto para quem não gostou também ou para quem nem leu.

Nuvens de ketchup - Annabel Pitcher: Um livro mais adolescente, mas que não deixa de ser bom. O livro é narrado pela jovem Zoe através de cartas que ela envia a um prisioneiro condenado a morte. Mesmo sem o conhecer e sabendo que ele vai morrer, ela conta parte da sua história e um segredo sombrio que mudou a sua vida e que ela jamais contou pra outra pessoa. É muito interessante acompanhar a trajetória da personagem e a forma como este segredo, que a gente também não sabe qual é no começo, afetou a sua vida. Fala sobre amor, perda, erros, culpa e como seguir em frente de uma forma sutil e sensível.

Perdido em Marte - Andy Weir: Depois de uma tempestade em Marte, toda a tripulação pensa que Watney está morto, o abandonam no planeta e retornam à Terra. Porém, ele sobreviveu e precisa encontrar uma forma de continuar vivo até que outra missão seja enviada a Marte, dali a 4 anos. Este livro mistura comédia e drama e é muito interessante acompanhar toda a luta do personagem para sobreviver sozinho e sem muitos recursos em marte e a forma como isso afeta todo o seu psicológico. Algumas situações beiram o absurdo, mas é um livro de ficção, então tudo certo. O personagem é muito bem construído e a história muito bem contada, com todas as ações sendo explicadas cientificamente, para fazer sentido. O filme é igualmente bom.

Quebrando a banca - Ben Mezrich: A história real de um grupo de estudantes de matemática que deram um dos maiores golpes da história de Las Vegas, através de cálculos estatísticos nos jogos de vinte e um. Tenho um fraco por livros que retratam situações reais, então esse não poderia ficar fora da lista. Conta como os estudantes aplicaram golpes milionários em cassinos, desde o início até serem descobertos, e fala também sobre como eles foram afetados por toda essa riqueza instantânea. Tem um filme também, mas recomendo mais o livro.

MENÇÃO HONROSA
Quando os Adams saíram de férias - Mendal W. Johnson: Coloquei como menção honrosa porque não foi exatamente um favorito e algumas coisas me incomodaram, mas foi certamente o mais angustiante e fora da minha zona de conforto e merece ser citado. É um livro extremamente pesado que não é indicado para todas as pessoas, principalmente crianças. Quando os Adams saem de férias eles contratam uma babá para tomar conta de sus filhos. Com ajuda de três vizinhos, todos crianças ou adolescentes, eles decidem fazer um jogo, onde a babá é amarrada, feita prisioneira e torturada. É um livro muito forte, onde você diversas vezes chocado com a crueldade  frieza das crianças, no que para eles é apenas uma brincadeira. A babá é agredida, estuprada, torturada de todas as formas possíveis. É bem forte e as descrições são tão pesadas quanto o tema, o autor não usa de sensibilidade ou sutileza, é tudo bem descritivo. É narrado pela babá, então além de tudo a gente percebe toda a tortura psicológica que ela sofre por estar ali na mão de crianças sem poder se defender. E a gente também vai percebendo o que se passa na cabeça das crianças, que são influenciadas pelos mais velhos, e dos adolescentes, que são cada um revoltados com uma situação e acabam descontando na babá. Enfim, é um livro chocante, mas também bastante real, já que não é incomum a gente ver casos de tortura, estupro e outras coisas nos noticiários. É bem pesado, como já disse, então não recomendo para qualquer pessoa. Mas quem se interessa pelo tema, deve sem dúvida dar uma chance, é angustiante acompanhar como as coisas saem do controle ao mesmo tempo em que a gente se pergunta como vai terminar esta história.