Teto para dois - Beth O'Leary

segunda-feira, 12 de abril de 2021

 

Teto para dois - Beth O'leary

Sinopse: Eles dividem um apartamento com uma cama só. Ele dorme de dia, ela, à noite. Os dois nunca se encontraram, mas estão prestes a descobrir que, para se sentir em casa, às vezes é preciso jogar as regras pela janela;
Três meses após o término do seu relacionamento, Tiffy finalmente sai do apartamento do ex-namorado. Agora ela precisa para ontem de um lugar barato para morar. Contrariando os amigos, ela topa um acordo bastante inusitado.
Leon está enrolado com questões financeiras e tem uma ideia pouco convencional para arranjar dinheiro rápido: sublocar seu apartamento, onde fica apenas no período da manhã e da tarde nos dias úteis, já que passa os finais de semana com a namorada e trabalha como enfermeiro no turno da noite. Só que tem um detalhe importante: o lugar tem apenas uma cama.
Sem nunca terem se encontrado pessoalmente, Leon e Tiffy fecham um contrato de seis meses e passam a resolver as trivialidades do dia a dia por Post-its espalhados pela casa. Mas será que essa solução aparentemente perfeita resiste a um ex-namorado obsessivo, uma namorada ciumenta, um irmão encrencado, dois empregos exigentes e alguns amigos superprotetores?

"Quando repetimos uma verdade vezes o bastante, quando nos esforçamos o suficiente, um dia funciona".

Conforme já explicado na sinopse, o livro conta a história de Leon e Tiffy, que dividem um apartamento em horários diferentes.

A história intercala em capítulos narrados por Tiffy e pelo Leon, o que é interessante, porque permite acompanhar as visões de cada um acerca do fato de dividirem a cama com um estranho, e também o dia a dia de cada um.

As narrações em primeira pessoa também fazem com a que a gente conheça um pouco mais da personalidade de cada personagem.

Fica claro que eles são muito diferentes, sendo Leon mais introvertido e na dele, enquanto a Tiffy é mais tagarela e extravagante.

Além do desenvolvimento de um relacionamento baseado em recados deixados em post-its, que começa com o fortalecimento de uma amizade para depois vir o romance, que torna mais crível e faz com que a gente se conecte mais aos personagens, o livro também trata de temas importantes.

Um deles é o relacionamento abusivo. Tiffy viveu um desses relacionamentos e, assim como ocorre na vida real, só se deu conta muito tempo depois.

A gente não cansa de ver relatos de pessoas que ficam presas neste tipo de relacionamento exatamente por não enxergar que se trata de uma relação abusiva, e o livro traz situações que demonstram como agem esses abusadores.

Claro que cada situação é diferente, mas é importante tratar deste tipo de tema até para alertar sobre como funciona.

Outro tema trazido é sobre inocentes acusados de crimes que não cometeram. Aqui já é uma situação delicada, porque a nossa justiça, infelizmente, é muitas vezes falha e fica difícil para a gente julgar quem é inocente e quem é culpado sem saber de todos os detalhes, que é o ocorre na maioria das vezes.

Por se tratar de ficção, a gente acompanha o irmão do Leon, que está preso por um crime que não cometeu. A autora traz uma série de fatos que demonstram como, mesmo tendo como provar a inocência, ele acaba condenado.

São temas que fazem parte do nosso dia a dia, mesmo que não próximos, todo mundo conhece alguém ou já ouviu falar dessas situações.

No caso do romance principal, é muito interessante acompanhar a trajetória e crescimento dos personagens, não apenas na parte do romance, mas como indivíduos, as trajetórias pessoais de cada um.

A narrativa é gostosa, prende, mas há momentos que o desenvolvimento é lento e precisa de um pouco de força de vontade para continuar.

Também tem muitos personagens apresentados ao longo da história que acabam ficando muitas coisas acontecendo: um paciente em busca de um amor do qual se afastou durante a guerra, uma menina lutando contra a leucemia, autora de livros do-it-yourself em busca de reconhecimento.

Enfim, achei que tantas histórias, apesar de casarem bem com a jornada dos personagens, acabaram juntando muitos assuntos que ficaram meio sem o destaque que mereciam.

Por tratar de tantos temas e alguns importantes, algumas coisas ficam meio corridas, mas aí é meu lado que acha que alguns assuntos precisam ser aprofundados e não podem ser deixados como se fossem simples de resolver.

No entanto, pela forma como são tratados, não deixa o livro pesado, com uma carga dramática demais e deixa a história leve e divertida, ótima para curar uma ressaca literária, por exemplo.

Personagens secundários também são importantes para a história. Fica claro a importância de uma rede de apoio, de amigos, para superar traumas, incentivar e comemorar as vitórias também.

No geral, é um livro leve, de leitura rápida e que ainda traz mensagens importantes e abre os olhos para situações presentes no nosso dia a dia e a forma como muitas coisas fogem ao nosso controle.

E apesar de muitos temas pesados, também há humor e o livro faz rir em diversos momentos, com situações cômicas que não o deixam trágico. 

Vale a pena a leitura. 

Doze livros para ler em 2021

sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

 

Sonhos partidos - M.O. Walsh

Baton Rouge, capital do estado da Louisiana, nos Estados Unidos, é uma cidade conhecida por seus churrascos no jardim, tardes quentes de verão, barris de cerveja gelada e muitos fãs de futebol americano. Mas no verão de 1989, quando Lindy Simpson, uma das garotas mais bonitas do bairro e estrela das pistas de corrida, é estuprada perto de casa, fica claro que os subúrbios bucólicos de Baton Rouge também têm um lado obscuro.
Para uma vizinhança tão pequena, os suspeitos do crime são muitos. Entre eles o narrador da história, um adolescente obcecado por Lindy que mora na casa em frente à da garota. E é por meio de suas lembranças que somos levados a entender como términos de relacionamentos, culpa e amor podem transformar a vida de maneiras irreversíveis.


Lágrimas de amor e café - Babi A. Sette

Fragilizada pela morte da mãe e a miséria na Itália, Angelina aceita a proposta de um estrangeiro rico que oferece não só casamento, mas também conforto para seu pai e sua irmã caçula.
Decidida a ajudar a família, ela embarca para um país distante tendo como companhia somente a escrita e os romances que ama, já que durante a viagem o marido se revela muito diferente do príncipe que sonhou um dia conhecer. Vincenzo também tem o Brasil como destino e, por uma traição, vê seus sonhos roubados logo que desembarca no novo país. E é na fazenda de um barão do café, onde Angelina é senhora e também vítima do marido cruel, que Vincenzo acaba achando trabalho.
Em meio a encontros e conversas nasce entre ambos uma amizade verdadeira e uma paixão secreta que pode colocar em risco não apenas a vida deles, mas também a segurança de outras pessoas. Vincenzo e Angelina teriam coragem o bastante para esquecer as proibições, passar por cima dos perigos e viver esse grande amor?


A Máquina do tempo - H. G. Wells

A bordo de sua Máquina do Tempo, o cientista londrino que narra esta história parte do século XIX para o ano de 802.701.
Cheando no que seria a Londres desse futuro distante, o viajante do tempo descobre que o sofrimento da humanidade foi transformado em beleza, felicidade e paz. A superfície da Terra é habitada pelos dóceis Eloi, uma espécie que descende dos seres humanos e já formou uma antiga e enorme civilização. 
Mas os Eloi parecem ter medo do escuro, e têm todos os motivos para isso: em túneis subterrâneos vivem os Morlocks, seus maiores inimigos. 
Quando a Máquina do Tempo que levou o Viajante some, ele é obrigado a descer às profundezas para recuperá-la e voltar ao presente. Com apenas uma caixa de fósforos, ele se pergunta se conseguirá retornar.

A Zona Morta - Stephen King

Depois de quatro anos e meio, John Smith, um simples professor, acorda de um coma profundo causado por um acidente de carro não reconhecendo certos objetos.
Segundo os médicos, John está com uma área de seu cérebro danificada, a qual eles chamam de Zona Morta
Junto com a consciência, o que John traz do limbo onde esteve são poderes inexplicáveis. 
O passado, o presente, o futuro – nada está fora de alcance. O resto do mundo parece considerar seus poderes um dom, mas John está cada vez mais convencido de que é uma maldição. 
Basta um toque, e ele vê mais sobre as pessoas do que jamais desejou. Para aqueles que estão a sua volta, esta é uma dádiva. Para Johnny, não passa de uma maldição.
Ele não pediu por isso e, no entanto, não pode se livrar das visões. Então o que fazer quando, ao apertar a mão Greg Stillson, um inescrupuloso político norte-americano em início de carreira, John prevê o que parece ser o fim do mundo?

O último adeus - Cynthia Hand

O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos.
Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. 
O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro. 
O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. 

Vozes de Tchernóbil - Svetlana Aleksiétitch

Em abril de 1986, uma explosão na usina nuclear de Tchernóbil, na Ucrânia então parte da finada União Soviética , provocou uma catástrofe sem precedentes: uma quantidade imensa de partículas radioativas foi lançada na atmosfera e a cidade de Pripyat teve que ser imediatamente evacuada. Tão grave quanto o acidente foi a postura dos governantes soviéticos, que expunham trabalhadores, cientistas e soldados à morte durante os reparos na usina. Pessoas comuns, que mantinham a fé no grande império comunista, pereciam após poucos dias de serviço. Por meio das vozes dos envolvidos na tragédia, Svetlana constrói este livro arrebatador, que tem a força das melhores reportagens jornalísticas e a potência dos maiores romances literários. Uma obra-prima do nosso tempo.


Não basta não ser racista - Robin Diangelo

É hora de todos os brancos abandonarem a ideia de superioridade e, de fato, atuarem no combate ao racismo. Negação, silêncio, raiva, medo, culpa... essas são algumas das reações mais comuns quando se diz a uma pessoa que agiu, geralmente sem intenção, de modo racista. Ser abertamente racista não é algo socialmente aceitável. Ninguém quer ser visto assim. Mas cada vez que se nega o racismo, impedimos que ele seja abordado e que nossos preconceitos sejam discutidos. As reações de negação não servem apenas para silenciar quem sofre o preconceito, também escondem um sentimento que a autora Robin Diangelo passou a chamar de fragilidade branca. Em seus estudos, Diangelo catalogou frases, palavras e sentimentos de voluntários que se veem sem qualquer preconceito e demonstrou que, no fundo, ele estava lá. Sua proposta é que todos comecem a ouvir melhor, estabeleçam conversas mais honestas e reajam a críticas com educação e tentando se colocar no lugar do outro. Não basta apenas sustentar visões liberais ou condenar os racistas nas redes sociais. A mudança começa conosco. 

Eliza and her monsters - Francesca Zappia

Na net, ela é mundialmente famosa. Fora, ninguém sabe o seu nome.
No mundo real, Eliza Mirk é tímida, estranha, inteligente e sem amigos. 
Online, Eliza é LadyConstellation, a criadora anônima de uma popular webcomic chamada Monstrous Sea. Com milhões de seguidores e fãs em todo o mundo, a personalidade de Eliza é popular. Eliza não consegue se imaginar curtindo o mundo real tanto quanto ama sua comunidade digital. Até que Wallace Warland se transfere para sua escola.. 
Quando percebem que têm a mesma paixão por Monstrous Sea e a mesma forma de ver o mundo, surge uma relação improvável que vai alterar as suas vidas para sempre. No entanto, ambos julgam que o outro é apenas um fã comum de Monstrous Sea. Ela não sabe que ele é o seu maior fã, e ele não sabe que ela é a própria autora.
Mas quando o segredo de Eliza é acidentalmente compartilhado com o mundo, tudo que ela construiu começa a desmoronar. 

Não fale com estranhos - Harlan Coben

Com poucas palavras, um homem destrói o mundo de Adam Price. Sua identidade é desconhecida. Suas motivações são obscuras. Mas suas revelações são dolorosamente incontestáveis.
Adam levava uma vida dos sonhos ao lado da esposa, Corinne, e dos dois filhos. Quando o estranho o aborda para contar um segredo estarrecedor sobre sua esposa, ele percebe a fragilidade do sonho que construiu: teria sido tudo uma grande mentira?
Assombrado pela dúvida, Adam decide confrontar Corinne, e a imagem de perfeição que criou em torno dela começa a ruir. Ao investigar a história por conta própria, acaba se envolvendo num universo sombrio repleto de mentiras, chantagens e assassinatos.
Não fale com estranhos é uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras

O Vilarejo - Raphael Montes

Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas.
É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome.
As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas

Um dos maiores clássicos da literatura francesa há mais de 150 anos, O conde de Monte-Cristo gira em torno de Edmond Dantès, que é preso por um crime que não cometeu, ocasionando a perda da mulher que ama. 
Ao sair da prisão, depois de muito sofrimento, Edmond vai em busca de vingança contra seus inimigos. 
Manipulando com maestria os cordões da trama, Alexandre Dumas prende o leitor numa teia de peripécias de tirar o fôlego – traições, denúncias anônimas, tesouros fabulosos, envenenamentos e vinganças – e apresenta uma galeria de personagens que retrata o espectro social de um mundo em transformação.
Uma trama repleta de reviravoltas dignas de um jogo de xadrez.

Soul Love - Lynda Waterhouse

Jenna não quer trair os amigos e não revelará o que se esconde por trás de sua expulsão do colégio, assumindo toda a culpa sozinha. Como castigo, sua mãe a levou para passar algum tempo com uma tia numa tediosa cidadezinha do interior. É lá que Jenna encontra Gabe, um rapaz autêntico, melancólico e reservado, completamente diferente de todas as outras pessoas que ela conhece. É inevitável: Jenna se apaixona por ele. Será que Gabe é sua alma gêmea? Ele mostra a Jenna a beleza de um céu noturno sem nuvens, escuro, um contraste perfeito para o brilho das estrelas. E, em meio a livros, música, poesia e noites estreladas, o sentimento entre eles se torna cada vez mais forte. Mas Cleo, uma garota antipática que tem uma ligação muito estranha com Gabe, não está gostando nada desse romance. Afinal, ela não quer que ninguém mais saiba o grande segredo de Gabe.

Cinco livros que se passam na época de Natal

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020


Antes que as luzes se apaguem - Jay Asher

Por que colocar meu coração em algo que o destino simplesmente vai separar na manhã de Natal? Sierra e sua família vivem duas vidas: uma no Oregon e outra na Califórnia, durante as festas de fim de ano. Eles são donos de uma fazenda de árvores de Natal, mas este pode ser o último ano de Sierra na Califórnia com Heather, uma de suas melhores amigas.
As coisas parecem sair de controle quando Caleb, dono de um belo sorriso acompanhado de uma covinha, surge em busca de uma árvore. O que deveria ser apenas um “romance de Natal”, torna-se algo muito mais profundo. Apesar de sua aparência, os boatos que rondam Caleb sobre seu passado não são tão belos – e muito menos confiáveis –, fazendo com que Sierra precise tomar decisões sobre em quem ela deve confiar e até mesmo confrontar seus pais.
Mesmo com tudo conspirando para que as luzes do último Natal de Sierra na Califórnia se apaguem, Caleb e ela aprenderão como contornar todas as situações.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Milagre na 5ª avenida - Sarah Morgan

Eva Jordan ama tudo que envolve o Natal. Romântica incurável, ela passará as festas sozinha esse ano, mas nada destrói sua fé inabalável no amor e nas coisas boas da vida. Quando ela tem a oportunidade de decorar a casa de um escritor rico e famoso na 5ª Avenida, aceita sem pensar duas vezes.
O que Eva não esperava, no entanto, é que a casa estaria ocupada por seu recluso ― e misterioso ― dono. Lucas Blade é especialista em escrever cenas aterrorizantes, mas é o Natal que está sendo seu maior pesadelo. Há poucas semanas do prazo final de entrega de seu próximo livro, ele ainda não tem uma história ― nem mesmo um personagem principal! Além disso, o aniversário da morte de sua esposa está chegando, o que o deixa imerso em uma névoa carregada de dor e luto. Eva vive em seu planeta particular e Lucas em um mundo de dor e desconfiança. O que a vida mostra a eles é que duas pessoas diferentes podem ter mais em comum do que imaginam ― incluindo uma atração inegável um pelo outro.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Um beijo de inverno na livraria dos corações solitários - Annie Darling

O Natal é a ocasião perfeita para espalhar amor e alegria... Porém, na livraria Felizes para Sempre, um improvável casal luta para encontrar o espírito natalino.
Mattie, uma confeiteira brilhante, detesta a comemoração desde que teve o coração partido na véspera de um Natal. A única coisa que ela odeia mais que essa data é o insuportável Tom, que a irrita desde que ela começou a administrar o salão de chá ao lado da livraria.
Mas, após uma coincidência, os dois passam a conhecer detalhes da vida um do outro que sequer imaginavam, o que faz com que alguns pontos de vista se alterem.
Assim, quando Mattie e Tom são deixados no comando nos frenéticos dias antes do Natal, mesmo estando no inverno, as coisas certamente vão esquentar.
Será que uma livraria cheia de romances, com uma rena em tamanho real e uma barraca de beijos, pode convencer dois ranzinzas a se apaixonar pelo Natal... e, quem sabe, um pelo outro?

--------------------------------------------------------------------------------------------------

O cardeninho de desafios de Dash e Lily - David Levithan e Rachel Cohn

Lily sente que chegou a hora de se apaixonar. Para achar sua cara-metade, ela vai contar com a ajuda do irmão, que ajuda a garota a criar uma série de tarefas num caderno vermelho. 
Quem o encontrar, em meio às prateleiras da mais caótica livraria de Manhattan, deve aceitar ou não seu desafio. 
Dash, um lobo solitário, encontra o moleskine em sua livraria predileta, e os dois ousam trocar sonhos, desafios e desejos nas páginas do caderninho que será achado e perdido sucessivamente nos mais diferentes locais de Nova York.



--------------------------------------------------------------------------------------------------

O presente do meu grane amor - vários autores

Se você gosta do clima de fim de ano e tudo o que ele envolve, presentes, árvores enfeitadas, luzes pisca-pisca, beijo à meia-noite, vai se apaixonar pelo livro. Nestas doze histórias escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade, há um pouco de tudo, não importa se você comemora o Natal, o Ano Novo, o Chanucá ou o solstício de inverno. Casais de formam, famílias se reencontram, seres mágicos surgem e desejos impossíveis se realizam. O pessimismo não tem lugar neste livro, afinal o Natal é época de esperança.
A coletânea reúne 12 dos autores mais populares da atualidade, como Stephanie Perkins, Laini Taylor, Gayle Forman, Jenny Han, Rainbow Rowell e David Levithan, cada um deles imprimindo aos contos o próprio estilo, trazendo histórias que vão do cotidiano à fantasia


Bienal vende mais de 4 milhões de livros no Rio

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Terminou no domingo (8) a 19ª edição da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro. Nos dez dias de evento, passaram pelo Rio Centro, na zona oeste da cidade, mais de 600 mil pessoas e foram vendidos mais de 4 milhões de livros, dos 5,5 milhões disponíveis. Na edição anterior do evento, em 2017, foram 3,6 milhões de livros vendidos e público de 680 mil pessoas.
Segundo os organizadores, a bienal é reconhecida como o maior evento literário do país e contou com mais de 300 autores do Brasil e de outros países, além de dezenas de artistas, acadêmicos, filósofos, cientistas, lideranças religiosas, movimentos sociais, ativistas e youtubers, que participaram de palestras, debates e bate-papo com o público.
A diretora-geral do evento, Tatiana Zaccaro, destaca que a média de vendas superou a edição de 2017, passando de 100% de aumento em algumas editoras. Ela atribuiu o sucesso ao ambiente cultural e de discussões de qualidade proporcionado pelo evento.
“As curadorias dos espaços foram incessantes propondo os melhores temas, buscando os melhores autores e personagens. O espaço infantil foi um sucesso, o Café Literário teve todas as sessões praticamente lotadas e a Arena #SEMFILTRO causou um alvoroço, consolidando a Bienal como o maior programa cultural e o mais diverso do país”.
Entre os temas discutidos na bienal este ano estiveram a felicidade, democracia e autoritarismo, meio ambiente, fé, empoderamento, fake news, escravidão, ciências e diversidade. As sessões foram gravadas e podem ser vistas no site.
Censura e manifestações
A 19ª edição da Bienal Internacional do Livro foi marcada pela tentativa de censura de livros de temática LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) por parte da prefeitura do Rio de Janeiro. Na quinta-feira (5) o prefeito Marcelo Crivella determinou o recolhimento da obra Os Vingadores  A Cruzada das Crianças, um quadrinho de super-heróis da editora norte-americana Marvel, em que uma cena mostra um beijo entre dois homens.
A prefeitura nega que tenha havido tentativa de censura ou homofobia e que, em conformidade com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), determinou que a revista fosse lacrada em material opaco e colocada uma advertência sobre conteúdo impróprio para menores de idade. O Artigo 78 do ECA diz que “as revistas e publicações contendo material impróprio ou inadequado a crianças e adolescentes deverão ser comercializadas em embalagem lacrada, com a advertência de seu conteúdo”. Fiscais da prefeitura chegaram a comparecer à bienal na sexta-feira e no sábado, mas não apreenderam nenhum material.
O prefeito aparece em vídeo determinando o recolhimento da obra e a prefeitura notificou os organizadores que apreenderia o livro que não estivesse lacrado e com a advertência. Fiscais da prefeitura chegaram a comparecer à bienal na sexta-feira e no sábado, mas não apreenderam nenhum material. Após a declaração do prefeito, a revista esgotou em 40 minutos.
Na sexta-feira os organizadores da Bienal pediram na Justiça o direito de comercializar obras literárias de qualquer temática e foram atendidos pelo desembargador da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), Heleno Pereira Nunes. A prefeitura recorreu e conseguiu uma decisão no sábado (7) do presidente do tribunal, Claudio de Mello Tavares, para recolher obras que tratem de temas LGTB “de maneira desavisada” para crianças e jovens.
O caso chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF) no domingo (8). Pela manhã, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu à suprema corte a suspensão da decisão judicial do TJRJ e foi atendida pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli. Também ontem, o ministro do STF Gilmar Mendes determinou a suspensão da decisão do TJRJ, atendendo a pedido de mandado de segurança dos organizadores da Bienal.
Apesar da proximidade do fim do evento, a prefeitura ainda entrou com um pedido de embargos de declaração no STF, por meio da Procuradoria-Geral do Município, pedindo a suspensão da liminar concedida por Toffoli. Diante da repercussão do caso, o presidente do TJRJ divulgou nota na noite de ontem negando que tenha compactuado com censura.
“Censura ocorreria se eu houvesse proibido a publicação ou circulação da obra em questão. Como se trata de espaço aberto ao público, o que determinei, segundo meu convencimento, foi simplesmente o alerta sobre conteúdo delicado, para que os pais pudessem decidir ou participar da decisão de aquisição da obra, voltada ao leitor infanto-juvenil, ainda em formação”, disse Tavares.
Repercussão
No último dia do evento, houve manifestação do público contra a tentativa de censura. Dezenas de pessoas marcharam pelos corredores da Bienal com livros de temática LGBT nas mãos falando “não vai ter censura”.
O youtuber Felipe Neto comprou 14 mil livros com essa temática e distribuiu para o público do evento no sábado, embalados em um plástico preto e com o dizeres “este livro é impróprio para pessoas atrasadas, retrógradas e preconceituosas”. A empresa de comércio eletrônico e-books Amazon disponibilizou mais de 20 obras com temática LGTB para download gratuito.
Na coletiva de encerramento do evento, o escritor Laurentino Gomes comemorou a decisão do STF. “Justiça, né. A gente está lutando pelo básico, pelo direito de falar, de escrever, da imaginação. O mais incrível, de preservar a memória. Não adianta, por mais que se tente alterar a nossa memória, a gente escreve de novo, a gente não vai desistir de escrever. Essa censura na Bienal deu um sopro de vida, de mobilização, de pessoa se importando com as outras, de solidariedade generosa. Foi um vento que serviu para abrir mais os livros, não tem como fechá-los”.
A escritora Thalita Rebouças se disse assustada com os acontecimentos. “A gente estava aqui quando chegaram armados e com viaturas para recolher livros e foi bem assustador. Estávamos eu, Laurentino e Pedro Bandeira e falamos que nós, autores, tínhamos que fazer alguma coisa. Não podemos nos calar agora. Eu fiquei bem assustada, em 20 anos de carreira eu nunca vi nada parecido com o que vi aqui nesses últimos dias. Está difícil”.
O presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), Marcos da Veiga Pereira, afirmou que a Bienal se tornou um símbolo da resistência e da livre expressão artística. “Fico feliz em terminar esse festival consagrando o valor que a Bienal tem e com a certeza de que o livro vai prosperar. Acreditamos muito no poder de transformação do livro e, por isso, tivemos convicção do que fazer e de que atitude tomar nesses últimos dias”.
Durante a coletiva, Thalita leu um manifesto dos escritores contra a censura, que também foi divulgado nas redes sociais e pela própria Bienal do Livro.
“Se engana quem pensa que o alvo era a Bienal Internacional do Livro. O alvo somos todos nós cidadãos brasileiros, pois não precisamos ter quem determine o que podemos ler, pensar, escrever, falar ou como devemos nos relacionar. O brasileiro não precisa de tutor. Precisa de educação para que cada um possa fazer suas escolhas com consciência e liberdade”, diz trecho do manifesto.
Fonte: Agência Brasil

Adaptações de livros nos cinemas - Janeiro

domingo, 6 de janeiro de 2019


Máquinas Mortais  
Baseado na série de livros britânicos "Máquinas Mortais", de Philip Reeve, a trama se passa quase 200 anos após a civilização ser destruída por um evento cataclísmico e a humanidade precisou se adaptar a nova realidade. Os sobreviventes vivem agora em cidades gigantes em movimento, chamadas Cidades Tração, onde as grandes se impõem contra as pequenas em busca de recursos naturais. Tom Natsworthy vive na Cidade Tração de Londres e, quando Londres se envolve em um ataque, é lançado para fora da cidade. Junto com a fugitiva Hester Shaw, ele precisa lutar para sobreviver e enfrentar uma ameaça que coloca a vida no planeta em risco.
Estreia em 10 de janeiro de 2019
Livro do autor Philip Reeve (Editora Harper Colins)



 
-------------------------------------------------------------------------------


Se a rua Beale falasse
Baseado no célebre romance de James Baldwin, a trama é contada pela ótica de Tish, uma jovem do Harlem, de 19 anos, que vê o amor de sua vida e pai de seu filho, Fonny, ser injustamente acusado de um terrível crime e de subtextos racistas. Com o casamento em espera e o noivo na prisão, Tish e as famílias do casal lutam para limpar o nome do rapaz, a tempo de tê-lo em casa para o nascimento de seu bebê. 
Estreia em 24 de janeiro de 2019
Livro do autor James Baldwin (Editora Companhia das Letras)



-------------------------------------------------------------------------------


Boy Erased - Uma vida anulada
Baseado no livro homônimo de Garrard Conley. O jovem Garrard de apenas 19 anos mora numa pequena cidade conservadora do Arkansas. Ele é gay e filho de um pastor da igreja batista. Chega um momento em que ele é confrontado pela família, ou arrisca perder sua família e amigos ou entra em um programa de terapia que busca a "cura" da homossexualidade. Diante do abandono iminente da família, o rapaz topa entrar no tratamento.
Estreia em 31 de janeiro de 2019
Livro do autor Garrard Conley (Editora Intrínseca)





Doze livros para ler em 2019

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Um livro por mês, além dos outros que a vontade escolher.

1 - Os homens que não amavam as mulheres
O jornalista Mikael Blomkvist acaba de ser condenado e sentenciado a três meses de prisão por difamar um poderoso financista. Recebe então uma proposta intrigante: o grande industrial Henrik Vanger quer contratá-lo para escrever a biografia de sua conturbada família. Mas, sobretudo, Vanger quer que Mikael investigue o sumiço de sua sobrinha Harriet, desaparecida sem deixar vestígios há quase quarenta anos. Henrik também se dispõe a salvar a 'Millennium', revista capitaneada por Mikael, e que se encontra em risco de falência. De início contrariado, o jornalista acaba aceitando a tarefa.
Harriet desapareceu quando sua família se reunia para um encontro em uma ilha. Inteligente e sensível, a moça era a favorita de Henrik. Suspeitos não faltam, pois, se todas as famílias tem esqueletos no armário, o clã Vanger parece dispor de um cemitério inteiro. Em sua busca febril, Mikael recebe a ajuda de uma jovem e genial hacker, Lisbeth Salander, cuja magreza anoréxica só é comparável à fúria silenciosa que nutre contra a sociedade. Mas, como Mikael logo compreende, se alguém esconde um segredo torpe, é certo que Lisbeth irá descobri-lo. E, de fato, pouco a pouco, o jornalista e sua improvável parceira desvendam um verdadeiro circo de horrores.

2 -  Echo Park
Echo Park é o décimo segundo romance em que Michael Connelly apresenta Harry Bosch, um detetive experiente, obcecado pelos crimes que investiga. Desta vez, Harry é assombrado por um fantasma. Um fantasma que o perturba há treze anos.
Em 1993, ele investiga o desaparecimento da jovem Marie Gesto, que, após ser vista indo ao supermercado, nunca mais foi encontrada. Como vestígio, apenas seu carro com algumas de suas roupas e compras dentro. Por mais que tenha lutado para descobrir seu paradeiro, Harry não conseguiu concluir a investigação, que passou a figurar na lista da delegacia de Casos Abertos / Não Resolvidos. Agora o detetive veterano vislumbra a chance de poder, finalmente, desvendar o mistério que o martirizou por tanto tempo.Raynard Waits é um homem acusado de matar e esquartejar duas pessoas, mas existem suspeitas de que ele também tenha cometido outros nove assassinatos. Entre eles, o de Marie Gesto. Mas ele pretende propor um acordo à Justiça para escapar da pena de morte. Em troca da atenuação de sua pena, o réu mostraria onde estão os corpos das nove pessoas desaparecidas e assassinadas por ele. A partir daí, Harry Bosch terá que enfrentar inúmeros desafios, um após o outro. Precisará estar próximo do homem que talvez seja o culpado por tantos anos de agonia e dúvidas, provavelmente o inimigo mais sádico e perigoso que tenha encontrado em toda sua vida. E ainda terá que conviver com a culpa por ter ignorado uma pista que poderia ter concluído o caso ainda em 1993, evitando a série de assassinatos que se seguiu.

3 -  As ruínas
Quatro amigos americanos de férias em Cancún, Mexico - Jeff, Amy, Eric e Stacy - conhecem um turista alemão que os convence a participar de uma busca a seu irmão, Henrich, que desapareceu com a namorada depois que foi ao local visitar umas ruínas. Os jovens em breve se arrependerão de ter aceito o convite, quando perceberem que estão presos na selva e aterrorizados por sinais que indicam que eles foram levados em direção ao mal...
 
4 - Anjos das sombras
Na sombra do poder, a verdade parece mais clara. Todo o luxo da escandalosa corte de Charles II, rei da Inglaterra, não é capz de ofuscar os olhos e ouvidos da dama de honra Alice Verney, sempre atenta às fofocas e intrigas dos bastidores do governo. Ela jura que a princesa foi assassinada e que a próxima vítima será a rainha. Mas quem acredita nela? Anjos das Sombras, de Karleeen Koen, é um romance sobre o poder, a luxúria e os labirintos da corte ingles do século 17, reconstituída em detalhes por uma das maiores contadoras de histórias de nosso tempo.
 
5 - Pequim em coma
Ao mesmo tempo alegoria de uma China em transformação e uma análise seminal dos protestos estudantis da Praça da Paz Celestial que culminaram no massacre de junho de 1989, PEQUIM EM COMA é a obra-prima do escritor chinês Ma Jian. Com humor negro, fina ironia, beleza poética e uma raiva profunda, este extraordinário romance confirma o autor como um dos mais intensos escritores chineses da atualidade.
Nascido em Qingdao, China, e, atualmente morando na Inglaterra, Ma Jian chegou a participar, na primavera de 1989, do movimento que reuniu milhares de estudantes chineses na Praça da Paz Celestial, no centro de Pequim. Massacrados pelo Exército ao exigir que o regime comunista promovesse reformas democráticas, os estudantes marcaram para sempre não apenas a história de seu país e do mundo, como a imaginação de Ma Jian. 
Em PEQUIM EM COMA, seu épico sobre o massacre, o autor conta a história de Dai Wei, um dos estudantes envolvidos nas manifestações. Há quase uma década em coma profundo, após ser atingido pela bala de um dos soldados, seu corpo é sua prisão. Mas as lembranças permitem a fuga. Acompanhamos quando ele se apaixona, larga a escola, chega à universidade, reflete sobre as mudanças, sobre o passado traumático dos pais durante a Revolução Cultural e sobre o presente. 
Em coma, Dai Wei não pode enxergar ou se mover, mas ouve tudo o que acontece no mundo ao seu redor: o esforço da mãe para mantê-lo com vida; a ação do governo para suprimir toda a memória do Massacre da Praça da Paz Celestial; o envolvimento de seus amigos com o capitalismo frenético da China. Conforme o relato minuto-a-minuto dos acontecimentos que culminam no tiro se torna mais intenso, o leitor se vê hipnotizado por uma fascinante jornada emocional, onde os limites entre vida e a morte se tornam cada vez mais nebulosos.

6 - Os Maias
Nessa saga familiar, os personagens vivem as aspirações, conflitos e paixões que refletem as forças transformadoras da sociedade em Portugal e no mundo então. 
As intrigas e os acontecimentos que cercam o velho Afonso da Maia, seu neto Carlos Eduardo - que vive um amor impossível com Maria Eduarda -, João da Ega, o conde de Gouvarinho e outras figuras tornaram-se verdadeiros símbolos de uma nação que debatia seu próprio destino e fracassava em construí-lo. 
A ironia, o sentimentalismo e a crítica mordaz são alguns dos componentes fundamentais da grandiosidade literária de Eça de Queirós, que se completa na criação de seus personagens e na construção novelística, na descrição comovente e dramática da vida e da sociedade de seu tempo.
Obra máxima de Eça de Queirós, marco da literatura portuguesa, Os Maias envolve o leitor na irresistível atmosfera da Lisboa de fins do século XIX. Tendo como protagonistas Afonso, Pedro e Carlos Eduardo da Maia, e apresentando outros personagens memoráveis, como João da Ega, Dâmaso Salcede, Maria Eduarda e o casal Gouvarinho, narra a trajetória de uma família, a história de um amor impossível e os rumos de um país. Eça dá vida a um refinado jogo social e compõe um panorama da cultura e dos problemas sociais e políticos do seu tempo, numa prosa limpa, cortante e inigualável.
 
7 - A sangue frio
Um homem religioso, uma mãe depressiva, um adolescente, uma garota dona de casa, um cachorro amedrontado e dois ladrões frustrados. Esses e outros personagens são os ingredientes chave para o romance jornalístico A sangue frio, de Truman Capote. O livro é uma reportagem investigativa sobre o assassinato de quatro membros da família Clutter, o casal e seus dois filhos caçulas, ocorrido em 1959 na cidade de Holcomb, no Kansas, Estados Unidos.
 
9 - Pássaros feridos
No panorama da ficção contemporânea, ´Pássaros Feridos´ tem, sem dúvida, um lugar de honra. Trata-se de um romance denso, épico, pungente e literariamente bem estruturado. Seus personagens, sofridos e marcantes, se integram num cenário rude e fascinante: as vastas extensões dos campos australianos, povoados de carneiros e rarefeitos de homens, que forçam seus minguados habitantes a uma existência isolada, pioneira, quase primitiva, na qual os caracteres se modelam muito à semelhança desse ambiente.
10 - Conversando com Mrs. Dalloway
Celia Blue Johnson apresenta nesse maravilhoso livro as histórias por trás de 50 clássicos. O que inspirou e fez cada uma ganhar corpo e tornar-se um sucesso da literatura. Autores como J.R.R. Tolkien, Gabriel García Márquez e Lewis Carroll tiveram inspiração em frases aleatórias, lugares ou fatos corriqueiros para compor verdadeiras obras-primas. Os clássicos da literatura universal tratam não só da crítica e pensamento da época em que foram escritos, mas da universalidade dos sentimentos humanos no decorrer do tempo, tornando-os imortais. Conhecer mais do processo criativo dos grandes escritores nos aproxima tanto dessas histórias como de nossas próprias vidas.
11 - Spotlight: Segredos revelados
"Ganhador do Prêmio Pulitzer, este livro conta a história real de um grupo de corajosos jornalistas que denunciaram uma sucessão de abusos de crianças, obrigando a Igreja Católica a prestar contas. Em janeiro de 2002, o jornal The Boston Globe publicou uma série de reportagens que chocou o mundo. Centenas de crianças em Boston sofreram abuso sexual por parte de padres certos de sua impunidade, eles agiam com o aval das autoridades religiosas, que acobertaram seus crimes por décadas. As reportagens revelaram a obscena quantia gasta pela Igreja Católica com subornos para comprar o silêncio das vítimas cujas vidas foram devastadas por pedófilos que, vestidos com o hábito, tinham o Pai Nosso na ponta da língua. A denúncia abalou as estruturas da Igreja Católica e deixou milhões de fiéis no mundo inteiro estarrecidos, furiosos e indignados: a instituição, em vez de servir e proteger a comunidade, usou sua poderosa influência para se resguardar do escândalo. Este relato, que inspirou o filme Spotlight, indicado ao Oscar em 6 categorias, é uma exposição violenta e importante do abuso de poder por uma das mais altas esferas da sociedade. The Boston Globe foi o único jornal que teve a persistência e a coragem de enfrentar essa história, forçando a arquidiocese de Boston a quebrar o sigilo de documentos internos, que escancararam, finalmente, as proporções do escândalo. Peggy Noonan, The Wall Street Journal".

12 - Novelas exemplares
Antes da publicação da segunda parte de Dom Quixote, em 1613, Cervantes lança uma outra aventura: Novelas exemplares. Como gênero literário, a novela já existia, mas, como nota o próprio Cervantes, ele é o primeiro a tentá-la na Espanha. Ele experimenta o gênero em todas as direções possíveis, com relatos bizantinos, cortesãos ou picarescos. E mais: busca estabelecer um padrão realista, fala do cotidiano das pessoas, de uma Espanha que podia ser vista da janela de casa. É interessante notar como ele, filho de uma sociedade machista, sabe das dores femininas e pinta mulheres inteligentes e espirituosas, quando outros as queriam apenas lindas e submissas. É exemplar como Cervantes, homem de temperamento satírico, conseguiu despistar a censura, deixando transparecer entre exaltações aos reis e à Igreja, seu país violento e sensual, trapaceiro e cobiçoso, em que o estupro, por exemplo, é aceito com naturalidade, e um casamento é o único sinal de respeito que se tem pelas mulheres. A edição traz aparatos críticos de estudiosos do autor, notas, poemas em sua versão original e ilustrações.